Impressões sobre a fala no FNE do Senhor Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro

IMG_3310 bx res
Farei um informe com minhas impressões da bela conversa do ministro da educação Renato Janine Ribeiro, com nós do Fórum Nacional de Educação com as coordenações de 22 Fóruns Estaduais de Educação no dia 29 de abril de 2015. Como se diz no ditado popular, a primeira impressão é aquela que fica. Eu fiquei impressionado com a sensibilidade e com o conhecimento do ministro em termos de diversidade.

Já no segundo parágrafo da sua fala disse com todas as letras “uma educação que não respeita gênero, raça/etnia e orientação sexual não pode se dizer educação e se educação tem esta doença da discriminação tem que ser curada.” Viva! Para quem lutou pela manutenção destas expressões no Plano Nacional de Educação foi “um colírio” para nossos ouvidos.

Para nós que defendemos a participação social nas políticas públicas disse: “Os governos eleitos têm legitimidade para fazer suas políticas e para fazer suas nomeações, e mais, é importante que também têm que ter a legitimidade nos Fóruns, e essa legitimidade deve ter a partir do diálogo constante e contínuo.” “Todo debate sobre educação é bem-vindo, toda contribuição séria, mesmo que discordante, é bem-vinda”, ressaltou. “Estamos falando com todos os atores da educação brasileira.”

O ministro Janine falou do Plano Nacional de Educação ( 2014/2024) que deve ser a rota que temos para os próximo dez anos. “Nós temos um caminho a seguir, o Plano Nacional de Educação (PNE), que foi amplamente discutido no Congresso Nacional e sancionado sem vetos pela presidenta”

Já nos informou que os recursos públicos estão escassos e são preciosos e que temos que poupar tudo que for possível, citando exemplos água, luz, impressões .“O dinheiro público é precioso e como todos os recursos é finito. Precisamos eliminar o desperdício desses recursos.”

Acrescentou que todos temos que contribuir com nossos vezos políticos , com pontos de acordos e pontos de união, diálogos constantes e até as discordâncias podem se tornar um boa contribuição.

Em falando da pedagogia na educação, que não deve ser única, e que temos a liberdade de ensinar.

A Educação Básica deve ser uma ponto de destaque para o enfrentamento das desigualdades sociais.

Em seguida falou das Secretarias do MEC. A melhor parte da sua fala, segundo minha opinião, foi quando falou da Diversidade. Falou que a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi)* é nosso Samu** da Educação.

Disse que a Secadi será o local de curar as feridas da educação e o que tem pior na educação, que privou/priva a permanência na educação. As ações da Secadi não podem ser superficiais, tem que ser profundas e que temos que ter uma filosofia “Color Blind,” de que a origem e outras características não pesem na hora de julgamento. Temos que ter igualdade de oportunidades. A Secadi tem que ser fortalecida pelos séculos e séculos de opressões e exclusões do nosso país. A Secadi é a premência da ética necessária na educação. E espera que com o tempo e com ações efetivas elas possam ser extintas. Eu quase gritei Aleluia.

O Ministro falou também sobre as outras Secretarias … A fala do ministro sobre a diversidade realmente me emocionou e depois não consegui pegar toda sua fala.

Agora a equipe do Ministério da Educação já tem um rumo certo baseado no PNE e nas resoluções da CONAE 2014. Espero que sua fala se transforme em ações e não se ceda a pressões de setores fundamentalistas contra políticas afirmativas para nós LGBT e para todas as pessoas que sofrem discriminações e opressões.

* A Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) em articulação com os sistemas de ensino implementa políticas educacionais nas áreas de alfabetização e educação de jovens e adultos, educação ambiental, educação em direitos humanos, educação especial, do campo, escolar indígena, quilombola e educação para as relações étnico-raciais. O objetivo da Secadi é contribuir para o desenvolvimento inclusivo dos sistemas de ensino, voltado à valorização das diferenças e da diversidade, à promoção da educação inclusiva, dos direitos humanos e da sustentabilidade socioambiental, visando à efetivação de políticas públicas transversais e intersetoriais.
** SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – realiza o atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.

*